• Raquel

Você sabia?

Aposto que você já se perguntou ou perguntou ao seu professor(a) “mas onde eu vou usar isso na minha vida?” e ficou sem respostas. Hoje iremos falar sobre a função exponencial. Sim, é a função que muitos não gostam, inclusive eu haha.

Caso não se lembrem, a função exponencial é caracterizada por sua variável se encontrar no expoente de um número, onde esse número precisa ser maior que zero e diferente de um. Beleza? Agora vamos para as suas aplicações.

Vocês nem imaginam, mas a função exponencial pode ser muito utilizada em química, biologia, física, engenharia, astronomia, economia, geografia, entre outras. Vou falar um pouco sobre a exponencial aplicada em 4 ciências.

Geografia - a função é muito usada para calcular o crescimento populacional devido a Teoria de Malthus. Nessa teoria, publicada em 1798 no trabalho “An Essay on the Principle of Population”, Malthus citou que o crescimento populacional seria 28 vezes maior que o de alimentos disponíveis em um período de dois séculos, e para descrever a população presente, ele formulou um modelo de função exponencial que é utilizado até hoje. A teoria de Malthus também pode ser representada pelo gráfico da função exponencial conforme a Figura 1.

Figura 1

Biologia - é muito comum usarem a expressão "cresce exponencialmente" na biologia para tratar do crescimento de determinados seres vivos que crescem muito rápido em pouco tempo, um exemplo clássico é o crescimento de bactérias e células. Por isso, para o cálculo do crescimento populacional das bactérias ou células é preciso fazer o uso da função exponencial.

Química - a função exponencial é essencial para o cálculo do decaimento radioativo e relacionada aos gráficos de meia vida de átomos radioativos. Um exemplo é o decaimento do carbono 14, ilustrado na Figura 2. O carbono 14 tem meia vida igual a 5730 anos e esse termo é chamado de “meia vida”, devido ao fato de que a cada 5730 anos a massa de uma amostra desse material radioativo, sempre se reduzirá pela metade, é no cálculo dessa redução que entra a função exponencial.

Figura 2

Astronomia – desde tempos antigos, as estrelas eram classificadas de acordo com o seu brilho. As estrelas que mais brilhavam eram chamadas de “estrelas de 1º magnitude”, as que brilhavam um pouco menos eram chamadas de “estrelas de 2º magnitude” e assim sucessivamente. Por incrível que pareça, atualmente, para calcular o brilho de uma estrela é usada a função exponencial.

Se você pensa em fazer geografia, biologia pensando em se livrar de matemática, acabou se enganando hein? hahaha

Enfim, dúvida, sugestões e/ou curiosidades, é só deixar nos comentários.



#cursosintensestudy

#vocêsabia

#curiosidades

#matemática

32 visualizações2 comentários

Cursos Intense Study por Stanley Bernardo da S. Filho,

CNPJ: 33.599.078/0001-23.

Rua Tênisson Ribeiro 552.

Aracaju/SE

Entrega de Produtos de 3 a 5 dias úteis.

Paypal and Credit Cards

Gladly Accepted

© 2019 by Cursos Intense Study.